Ir para conteúdo

Uvebs vai propor novo procedimento para cálculo do “Fator K”

Cobrança da Sabesp considerada abusiva por comerciantes deve ser reformulada para atender concessionária, meio ambiente e comerciantes

A União dos Vereadores da Baixada Santista (Uvebs) com apoio do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SinHoRes) vai propor um novo procedimento para o cálculo do “Fator K”, métrica da Sabesp que estima a carga poluidora do lançamento de esgotos não domésticos na rede pública. A taxa é considerada abusiva por parte de comerciantes, principalmente dos setores de bares, restaurantes e da rede hoteleira.

O estudo para o novo cálculo foi definido em reunião virtual realizada na última sexta-feira, dia 12. Participaram do encontro o presidente da Uvebs, Roberto Andrade e Silva, o Betinho (PSDB/Praia Grande), o secretário-executivo do colegiado, Pedro Garofalo, e mais um representante do legislativo de cada cidade. Além deles, o presidente do SinHoRes, Heitor Gonzalez. Por parte da Sabesp, a diretora de Sistemas Regionais, Monica Porto; o superintendente Raul Christiano e o ex-deputado federal e assessor da presidência, João Paulo Papa. 

Para Garofalo, o encontro virtual foi produtivo. “Reunimos importantes peças para debater uma questão que há tempos têm assolado o comerciante, principalmente dos ramos de bares, restaurantes e da rede hoteleira. Vamos buscar um denominador comum, trazendo transparência e criando uma cobrança justa e viável, principalmente neste momento de crise econômica, por conta das medidas de prevenção à COVID-19”, ressaltou. 

A Uvebs não é contra o “Fator K”. “Que fique claro que não somos contra a cobrança. O que queremos é um procedimento transparente e que possa fazer com que o comerciante possa se adaptar, sem gerar poluentes, e pagando pelo que está de fato lançando no meio ambiente. O que reivindicamos é o respeito à sociedade e à natureza e à economia, de forma equilibrada e legítima”, disse o secretário-executivo.

Garofalo ressalta que a pandemia acabou interrompendo as tratativas, que tiveram início em meados de 2019. “No ano passado, tivemos que suspender as reuniões. Mas, agora, retomamos, e nos adaptamos a nova realidade, de forma virtual. Afinal, trata-se de uma questão relevante que não pode ser deixada de lado”. 

De acordo com dados do SinHoRes, nas nove cidades da Baixada Santista são 492 hotéis e 10.492 bares, restaurantes e similares. “Todos estes estabelecimentos geram emprego e renda para os municípios e por isso, precisam do nosso auxílio para que possamos manter a economia de pé”, finalizou Garofalo.

UVEBS

Criada em 2010 para congregar os vereadores das nove cidades da Baixada Santista — Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, Peruíbe, Santos, São Vicente — a União dos Vereadores da Baixada Santista (Uvebs) representa os 136 vereadores, que atuam pela Região — localizada no Litoral de São Paulo — com mais de 1,8 milhão de habitantes.

O grupo visa fortalecer os municípios de forma metropolitana e trazer soluções a questões comuns às cidades, por meio de interlocução política, inclusive com outros entes dos poderes Estadual e Federal.

Categorias

Uncategorized

Christiane Disconsi Ver tudo

Christiane Disconsi é jornalista, cientista política, pós-graduada em Marketing Digital e beer sommelière, certificada pelo Senac. Tem passagem como editora-chefe de jornal impresso e sólida experiência em PR, com destaque para a área política/governamental.

%d blogueiros gostam disto: