Ir para conteúdo

Uvebs propõe unificação das eleições em 2022

Avanço da pandemia e crise econômica são os principais argumentos da entidade

A União dos Vereadores da Baixada Santista (Uvebs) divulgou um manifesto propondo a unificação das eleições municipais deste ano com as eleições gerais de 2022. O colegiado toma como base a economia de cerca de R$ 5 bilhões, que poderiam ser investidos em saúde e na recuperação de pequenas empresas, atingidas pela crise econômica.

A prorrogação do isolamento social no Estado de São Paulo – o maior do Brasil – até dia 31 de maio também foi um dos motes para o documento. “Sabemos que a curva de casos em todo o Brasil está aumentando, ao invés de diminuir, e isto se deu pelo relaxamento precoce da população. As eleições estão marcadas para outubro, mas não sabemos o que pode acontecer até lá”, ressaltou o presidente em exercício da entidade, Pedro Garofalo.

De acordo com levantamentos como do Imperial College London, que acompanha os casos de coronavírus em todo o planeta, o Brasil é o epicentro da epidemia na America Latina, pois dobra de casos a cada cinco dias. A projeção ainda garante que o País pode ultrapassar o número de óbitos da Itália e Espanha, pois a taxa de mortalidade por causa da Covid-19 varia entre 0,7% e 1,2% dos contaminados. O resultado representaria mais de um milhão de mortes no país caso toda a população fosse infectada – considerando o cenário mais otimista.

Garofalo ainda ressalta que, com cenário incerto não há condições para debates e que esta é uma situação ruim para candidatos e eleitores. “Outro risco é o grande índice de abstenção, que, se for maior que 50%, por exemplo, pode causar uma série de processos, que culminarão na invalidação das eleições, fazendo o país perder R$ 5 bilhões, em um momento tão delicado”, finalizou.

VALORES

O montante de quase R$ 5 bilhões apurado pela Uvebs como custo das eleições municipais de 2020 vem do Fundo Partidário de R$ 2 bilhões, somado ao custo das eleições, que é estimado em cerca de R$ 1 bilhão, pelo TSE. Também entra na conta a aquisição de 180 mil novas urnas eletrônicas, em processo de licitação. A compra pode custar até R$ 1,76 bilhão, de acordo com os números divulgados pelas empresas que disputam a licitação.

Clique e confira o documento na íntegra.

Christiane Disconsi Ver tudo

Christiane Disconsi é jornalista, cientista política, pós-graduada em Marketing Digital e beer sommelière, certificada pelo Senac. Tem passagem como editora-chefe de jornal impresso e sólida experiência em PR, com destaque para a área política/governamental.

%d blogueiros gostam disto: