Ir para conteúdo

Uvebs avança em prol da Justiça Restaurativa Metropolitana

Colegiado realizou encontro em Santos na manhã desta sexta-feira para disseminar a ideia

A União dos Vereadores da Baixada Santista (Uvebs) realizou na manhã desta sexta-feira, dia 18, o Segundo Encontro Regional de Justiça Restaurativa. O evento realizado na Secretaria de Educação de Santos contou com a presença de parlamentares, secretários e profissionais de Educação, das cidades da Região. Todos eles receberam mais informações sobre os objetivos do programa — implantado em Santos desde 2017 —, que consiste em um novo modelo de prevenção da violência e solução de conflitos, por meio da responsabilização e restauração do dano causado, priorizando o diálogo e o entendimento, e não a simples punição sem conscientização.

Segundo explicou o presidente do colegiado, vereador Roberto Andrade e Silva, o Betinho (MDB), os encontros visam disseminar o programa para que o mesmo seja implantado em todos as cidades da Região. O próximo encontro ocorre na próxima sexta-feira, dia 25, às 10h, na Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social de Itanhaém e deve reunir os representantes do eixo sul da Baixada Santista. “A partir do momento que começamos a ter um entendimento melhor do que é a Justiça Restaurativa, abraçamos a causa por inteiro e decidimos levar aos municípios para que todos tivessem esse mesmo entendimento”, ressaltou.

Para Betinho, a violência deve ser tratada e não combatida. “Todas as alternativas que a sociedade está buscando para diminuir a violência não estão tendo efetividade. A Justiça Restaurativa atua na prevenção, junto às crianças, diretamente na formação do ser humano e sabemos que não se trata de uma medida em curto prazo, mas temos que dar o primeiro passo. A partir responsabilização, temos uma conscientização. Levantamos esta bandeira por acreditar numa sociedade melhor, com a participação de todos, não apenas do poder público, mas de toda a sociedade civil organizada”, ressaltou.

SEMENTE PLANTADA

Membro da Diretoria da Uvebs, a vereadora Audrey Kleys (Progressistas) foi quem levou o tema ao colegiado. Hoje, já comemora alguns avanços. “Estamos mostrando como funciona para que a ideia se expanda para toda a Região. Em Santos a semente foi plantada e através da Uvebs estamos disseminando, pois o colegiado tem esta função de troca de experiências, intercâmbio entre as cidades. Tem muita coisa boa acontecendo, que pode dar certo em outras cidades também”, disse.

Também membro da Diretoria da Uvebs, o vereador Toninho Salgado (PSD) acredita que se trata de um trabalho de base para trazer frutos no futuro. “Assim como a questão da Cultura de Paz nas Escolas, a Justiça Restaurativa começa pela base, formando multiplicadores para que mudemos a perspectiva do futuro. Estamos plantando uma semente, que vai além dos muros das escolas, mas para toda a sociedade, com mais diálogo e menos violência”.

Outro membro da Diretoria da Uvebs presente no evento, o vereador Marcinho (PSB) falou sobre a importância do pensar metropolitano. “Como Uvebs entendemos que tudo o que é bom tem que ser acolhido. Não podemos pensar em apenas uma cidade, mas na região em geral, pois são as mesmas pessoas que transitam por todas estas cidades. Precisamos transformar o todo”, comentou.

PROGRAMA

Segundo explicou a coordenadora operacional de Justiça Restaurativa, Liliane Claro Rezende, o programa trabalha a responsabilização pelos atos e a prevenção da violência. “Não é passar a mão na cabeça, é responsabilizar. Também atuamos na prevenção. Trata-se de uma mudança de cultura, evitando o ciclo da violência, através de técnicas e mudanças de atitudes”.

Em Santos, a Política Pública de Justiça Restaurativa foi implantada oficialmente pela Lei Municipal nº 3371, de 11 de julho de 2017. O Núcleo de Educação para a Paz (NEP), da Secretaria de Educação (Seduc), faz parte do programa e desde que foi iniciado, já foram realizados mais de 70 encontros, entre círculos restaurativos e reuniões, e quase mil pessoas passaram pelo local.

Atualmente, o programa está presente nas 83 escolas municipais e, apenas no primeiro semestre deste ano, realizou 218 círculos de construção de paz, dentre eles o de resolução de conflitos. Santos é uma das cidades brasileiras referência na implantação de Justiça Restaurativa nas escolas.

Christiane Disconsi Ver tudo

Christiane Disconsi é jornalista, cientista política, pós-graduada em Marketing Digital e beer sommelière, certificada pelo Senac. Tem passagem como editora-chefe de jornal impresso e sólida experiência em PR, com destaque para a área política/governamental.

%d blogueiros gostam disto: